Free Translation Widget

Home

Loja Virtual

Apostilas

Cadastre-se

Contato

 

::: MENU :::

 » A Umbanda

 » Os Orixás

 » Entidades e Falanges

 » Linha do Oriente

 » Sincretismo

 » Exú e Pomba-Gira

 » Zé Pelintra

 » As Ervas na Umbanda

 » Defumador

 » Fumo e Bebidas

 » Mediunidade

 » A Glândula Pineal

 » Os Chacras

 » Mensagens

 » Artigos

 » Orações e Preces

 » Rezas e Benzeduras

 » Temas Variados

 » Pontos Cantados

 » Letras de Pontos

 » Pontos Riscados
 » Datas Comemorativas
 »  Apostilas
 » Campanhas
 » Cadastre-se

::: AVISO :::

::: CONFIRA :::

 

::: IMPORTANTE :::

 

 

::: PARCERIAS :::

::: Visitas desde 15/10/2007 :::

 free counters

 


A IMPORTÂNCIA DO CAMBONO

 

 

Autor: Lara Lannes e Alberto Magno Soares

Equipe Genuína Umbanda

www.genuinaumbanda.com.br

 

O cambono é o médium do terreiro que tem como missão auxiliar as entidades que chegam para trabalhar prestando a Caridade, exercendo papel essencial ao bom desenvolvimento de um terreiro de Umbanda, tendo tanta importância quanto todas as pessoas componentes do quadro mediúnico da Casa.

Geralmente são médiuns que não incorporam ou em desenvolvimento os escolhidos e treinados para tal função tão importante dentro do terreiro.

Assim como o médium de incorporação, o cambono deve passar por um processo de desenvolvimento e adaptação às responsabilidades que terá durante o trabalho que irá desempenhar durante as giras e consultas do terreiro. Portanto, deve estar em sintonia constante com sua função espiritual que o auxiliará e dará todo apoio para que esse desenvolvimento se dê de forma a torná-lo apto para o cargo que desempenhará na casa que frequenta. Por isso é importante também o cambono em desenvolvimento participar da gira ou sessão de desenvolvimento mediúnico do terreiro.

Durante seu desenvolvimento, o cambono terá em seu aprendizado, uma parte voltada ao conhecimento dos hábitos e atitudes das entidades que trabalham com os médiuns da casa, uma vez que será seu o trabalho de suprir as necessidades que surgirem durante o trabalho da entidade, trazendo-lhe todo o material necessário e de costume usado por ela.

Assim, o cambono atua como intérprete da entidade durante uma consulta quando solicitado e, para isso, o cambono deverá estar atento, prestando sempre atenção no comportamento e na preferência das entidades a qual ele ira cambonar.

Por ajudar nas consultas, o cambono acaba por escutar alguns trechos da consulta ou até mesmo acompanhar sem participar diretamente de algum trabalho realizado, o que exige do cambono o sigilo, devendo ser discreto e cumprir o sigilo à risca.

Deverá também o cambono seguir todos os rituais ou preceitos ensinados pela casa, firmar seu anjo da guarda, tomar seus banhos de descarrego, para que assim esteja sempre numa boa sintonia com sua função, ajudando assim a manter o padrão energético elevado.

Se a casa tiver mais de um cambono todos deverão ser treinados da mesma forma, para que não haja nenhum erro e executem seu trabalho de uma forma que não atrapalhe os trabalhos da casa e das entidades. É importante, neste caso, a confirmação de um Cambono chefe para distribuir as funções aos demais cambonos.

Deve ser disciplinado, responsável com horários, concentrado e por estar em contato bem próximo com a entidade, não se achar íntimo da entidade e sim ter consciência do elo espiritual que se forma com a entidade que auxilia com passar do tempo. Por exemplo, a entidade passa a intuir o cambono quando está precisando da sua presença ou de seu auxílio.

O Cambono é quem cuida do material de trabalho da entidade.

O cambono não deve ser confundido como escravo das entidades e nem mesmo dos médiuns uma vez que os cambonos também auxiliam as entidades desses irmãos médiuns, cuidando e zelando também por seus materiais de trabalho. Uma observação que deve ser feita é que os próprios médiuns incorporantes devem ajudar a zelar pelo cumprimento das tarefas que antecedem os trabalhos do terreiro, muitas vezes ajudando os cambonos no desenvolvimento dos trabalhos, desde que autorizados ou designados para essa tarefa pelo cambono chefe ou zelador de santo.

O médium em desenvolvimento, escolhido para desempenhar esta função, tem a chance de começar o seu aprendizado em relação à espiritualidade e de como funciona um terreiro e os trabalhos das entidades, dando-lhe confiança e preparando-o para o momento de sua incorporação.

É importante o cambono estudar os aspectos espirituais, conhecer o regimento da casa, participar de todos os eventos do terreiro, freqüentar palestras, ou seja, participar de todo quadro doutrinário do terreiro, para assim evoluir espiritualmente e merecer ter a função de confiança das entidades e dos dirigentes da casa.

Algumas funções e procedimentos dos Cambonos:

- Esclarecer as dúvidas do consulente;

- Ajudar na comunicação da entidade para com o médium;

- Escrever prescrições recomendadas pela entidade ao consulente, tais como: banhos, descarregos, receitas, etc..

 - Participar da preparação necessária aos trabalhos da casa no dia específico, ou seja, limpeza do altar, ingredientes para a defumação, até mesmo nas firmezas da casa estando o material necessário (vela, fósforo, copo d’água, pemba, ponteiro, tábua para riscar ponto, caneta, papel, etc..) em mãos ou facilitando o acesso ao mesmo. Assim como em alguns terreiros, estar em mãos com a ficha de consulta elaborada para os atendimentos;

- Orientar a assistência sobre a atitude a ser seguida durante o desenvolvimento da gira ou da consulta. Por exemplo, no caso de esclarecer a necessidade de todos estarem com pernas e braços descruzados, uma vez que essa simples atitude pode prejudicar o andamento dos trabalhos das entidades, cortando a corrente;

- Auxiliar os médiuns durante a gira no momento da incorporação e chegada da entidade como também na hora da desincorporação do médium como, por exemplo estar com a toalha em mãos, ver se o médium necessita de água, todo o necessário para o bem estar do médium;

- Orientar aos consulentes que não consultem com todas as entidades da casa no mesmo dia, ou mesmo em dias diferentes durante o andamento do auxílio que foi pedido a determinada entidade, uma vez que essa saberá quando e como deve tomar as atitudes necessárias ao socorro espiritual que o consulente necessita;

- Ter a percepção necessária para, durante a consulta, perceber quando o consulente está se estendendo além do tempo necessário e, com educação, orientá-lo para o término dessa, para que o médium não sobrecarregue sua energia em processos de incorporação que demorem além do tempo necessário ao trabalho de suas entidades;

- Após o atendimento, é o cambono que deve pedir orientação à entidade do que fazer com as sobras do material utilizado durante os trabalhos, se encarregando de dar destino a esses, guardando os instrumentos utilizados pela entidade (copo, tábua de ponto, banco, paramentos) e, deixando limpo e organizado o ambiente onde os trabalhos foram realizados.

Em termos espirituais, o cambono tem o compromisso de:

- Firmar seu anjo da guarda antes dos trabalhos;

- Manter-se em sintonia com o padrão vibratório do terreiro e de sua função espiritual;

- Manter-se em silêncio e em atitude de recolhimento, sem prestar atenção ao conteúdo da consulta por curiosidade, falando somente quando interpelado pela entidade que assiste;

- ver o trabalho de cambono como um aprendizado, necessário ao seu desenvolvimento espiritual, tendo em mente que sua disciplina e doação são ferramentas necessárias ao bom desempenho dos trabalhos do terreiro.

Em síntese, a função de cambono é uma função muito importante dentro de um terreiro, pois é ele que ajuda e auxilia as entidades tanto durante a gira quanto durante a consulta, facilitando o andamento de ambas. No entanto, deve-se ter em mente que o cambono jamais poderá se julgar superior às entidades que trabalham na casa, devendo manter sempre o respeito necessário, não desacatando suas ordens ou tratando-as de forma desrespeitosa durante a incorporação, respeitando a necessidade de seu trabalho incorporado.

Mais do que ninguém, a entidade confirmada na casa, apta à desempenhar o trabalho de caridade e assistência sabe do quanto é imperiosa a ordem ao bom andamento dos trabalhos e, se ainda assim, mantém-se incorporado, tal atitude deve ser respeitada e quando questionada que o faça com o respeito devido pelo cambono.

Por esse motivo, também, o cambono deve ter muito cuidado ao tratar com as entidades para que não ultrapasse os limites de respeito que devemos ter a esses espíritos que “baixam” em nossos terreiros com o objetivo de ajudar a nós encarnados. Chega-se ao cúmulo de vermos cambonos no exercício de sua função desrespeitando o momento da desincorporação, sendo rudes com as entidades, e não prestando atenção ao médium que necessita de ajuda quando o espírito deixa a sua matéria.

O cambono não deve interferir nos trabalhos das entidades e nem do terreiro, e sim, ser parte importante e integrante dos trabalhos realizados, sabendo sempre que seu cargo deve ser  desempenhado com toda a responsabilidade e amor à sua função e, que assim como ao terreiro é essencial o trabalho do médium que recebe seus guias para atender aos necessitados de auxílio, sem o trabalho de organização desempenhado pelos médiuns cambonos, essa tarefa seria muito difícil de ser realizada.


 

 

» Publicidade

 

 

 

» Redes Sociais

 

 

» Campanhas

 

 

 

 

 

Home  |   Apostilas   |   Nossa Loja Virtual   |   Contato

Site desenvolvido por: Genuína Umbanda - Todos os direitos reservados

 

Copyright © 2007-