Free Translation Widget

Home

Loja Virtual

Apostilas

Cadastre-se

Contato

 

::: MENU :::

 » A Umbanda

 » Os Orixás

 » Entidades e Falanges

 » Linha do Oriente

 » Sincretismo

 » Exú e Pomba-Gira

 » Zé Pelintra

 » As Ervas na Umbanda

 » Defumador

 » Fumo e Bebidas

 » Mediunidade

 » A Glândula Pineal

 » Os Chacras

 » Mensagens

 » Artigos

 » Orações e Preces

 » Rezas e Benzeduras

 » Temas Variados

 » Pontos Cantados

 » Letras de Pontos

 » Pontos Riscados
 » Datas Comemorativas
 »  Apostilas
 » Campanhas
 » Cadastre-se

::: AVISO :::

::: CONFIRA :::

 

::: IMPORTANTE :::

 

 

::: PARCERIAS :::

::: Visitas desde 15/10/2007 :::

 free counters

 


O ATO DE FAZER PUXADA NA UMBANDA

Mediunidade de Transporte

 

 

 

Autor: Alberto Magno S.

Equipe Genuína Umbanda

www.genuinaumbanda.com.br

Existem terreiros e entidades que adotam a “Puxada” através dos médiuns de transporte, como trabalho de limpeza (descarga) em determinados consulentes.

Como o próprio termo diz, o médium de transporte puxa para si as energias e vibrações negativas do consulente. Isso só é possível se o médium for mesmo de transporte e preparado para tal função, pois é grande a responsabilidade nesse tipo de limpeza, porque lida com energias maléficas dos obsessores que rondam aquela pessoa, mesmo que muitas das vezes sendo atraídos pelo próprio consulente, através de sua baixa estima ou maneira de agir e pensar em seu dia-a-dia, tornando e transformando sua energia em uma energia densa e completamente dominada pela obscuridade, causada justamente por atos insensatos ou obsessores. A puxada deve somente ser realizada após a determinação da entidade ou guia responsável pelos trabalhos do terreiro.

Há também as energias negativas e maléficas provocadas por quiumbas que tentam, de alguma forma, atingir aquela pessoa - que pode estar sendo alvo de feitiçaria, olho grande, inveja, etc...

Até mesmo através de um pensamento fixo em um ente querido já desencarnado, pode-se criar energias muito prejudiciais. Muitas das vezes, outros espíritos de pessoas desencarnadas que ainda não aceitaram tal estágio, também podem se aproveitar do momento frágil da pessoa e se tornarem verdadeiros vampiros sugando, a cada dia, suas energias vitais necessárias para o equilíbrio de seu pensamento e alimento de seu próprio espírito.

Poderíamos citar ainda mais centenas de casos que geram energias maléficas, sendo que os exemplos acima são para mostrar o quanto é necessário - e de extrema importância - a identificação e a preparação do médium de transporte para desempenhar essa difícil tarefa de fazer “puxada”, quando realmente necessário.

Não vamos pensar que a “puxada” serve somente para o médium de transporte absorver as energias negativas da pessoa, para que os guias ou entidades responsáveis pelo trabalho ou pelo médium possa descarregá-la. Há casos, também, da necessidade de fazer a “puxada” de uma determinada entidade pertencente à outra pessoa.

Em alguns terreiros, por exemplo, existem casos de o consulente chegar com muita dor nas costas, muitas das vezes já quase sem poder andar direito e já tendo passado por vários médicos, mas, sem sucesso no diagnóstico ou tratamento. Então, se percebe a vibração de um preto velho. Convoca-se, então, um médium de transporte e esse médium puxa para si - com a permissão de seus guias e entidades - aquele preto velho que faz parte da função espiritual da pessoa, perguntando-lhe o que é necessário para a cura do consulente e, assim, o trabalho é realizado.

Pode-se ver então que a utilização da “puxada” é indispensável em muitos casos.

Identificado o caso e realizada a “puxada”, o consulente passa, enfim, pela entidade responsável pelo trabalho para receber o passe, que é a liberação de vibrações energéticas através de entidades para retirar e livrar o consulente dos males provocados pelas vibrações maléficas.

 


 

 

» Publicidade

 

 

 

» Redes Sociais

 

 

» Campanhas

 

 

 

 

 

Home  |   Apostilas   |   Nossa Loja Virtual   |   Contato

Site desenvolvido por: Genuína Umbanda - Todos os direitos reservados

 

Copyright © 2007-