Free Translation Widget

Home

Loja Virtual

Apostilas

Cadastre-se

Contato

 

::: MENU :::

 » A Umbanda

 » Os Orixás

 » Entidades e Falanges

 » Linha do Oriente

 » Sincretismo

 » Exú e Pomba-Gira

 » Zé Pelintra

 » As Ervas na Umbanda

 » Defumador

 » Fumo e Bebidas

 » Mediunidade

 » A Glândula Pineal

 » Os Chacras

 » Mensagens

 » Artigos

 » Orações e Preces

 » Rezas e Benzeduras

 » Temas Variados

 » Pontos Cantados

 » Letras de Pontos

 » Pontos Riscados
 » Datas Comemorativas
 »  Apostilas
 » Campanhas
 » Cadastre-se

::: AVISO :::

::: CONFIRA :::

 

::: IMPORTANTE :::

 

 

::: PARCERIAS :::

::: Visitas desde 15/10/2007 :::

 free counters

 


17 DE DEZEMBRO - DIA DE SÃO LÁZARO

Obaluaê / Omulu

 

 

 

Autor: Lara Lannes

Equipe Genuína Umbanda

www.genuinaumbanda.com.br

 

Oração a São Lázaro:

Tu que alcançaste pela fé e pelo amor a salvação da tua carne, rogue por mim ao Suave Jesus que me salve também.


Assim como Marta e Maria pediram por ti, de joelhos, eu rogo, São Lázaro, me ajude nas horas tristes, me ampare em minhas dores e livre meu corpo e meu espírito de toda e qualquer doença, de todo e qualquer mal.


Amém.

 

 

São Lázaro teve a sorte de ser o protagonista de um dos milagres mais impressionantes de Jesus Cristo, já que foi ressuscitado por Ele depois de quatro dias de haver falecido. Sua residência ficava perto de Jerusalém, numa aldeia da Judéia chamada Bethânia. Era irmão de Marta e de Maria. Sabemos pelo Evangelho que Lázaro era tão amigo de Jesus que sua casa serviu muitas vezes de hospedaria para o Mestre e para os apóstolos. Lázaro era de origem nobre, honesto e de muita religiosidade e era respeitado por isso. Ele e suas irmãs, Marta e Maria, eram sinceros amigos de Jesus. Talvez tenha sido um de seus primeiros discípulos.
 
Segundo as Sagradas Escrituras, Lázaro adoeceu gravemente e suas irmãs enviaram com urgência um mensageiro ao lugar onde se encontrava Jesus, com a seguinte mensagem: "Aquele a quem Você ama, está doente". Quando o santo adoeceu, Jesus estava pregando na Galiléia e não voltou para vê-lo. Ele explicou “Lázaro morreu, mas me alegro por vossa causa por não estar presente, a fim de que acrediteis. Vamos vê-lo!” (Jo 11:14).
 
Somente no quarto dia após sua morte chega Jesus. As duas irmãs saem ao seu encontro, em meio a lágrimas e soluços, dizendo: "Oh, Senhor se tivesse estado aqui! Se tivesse ouvido como te chamava Lázaro! Só uma palavra tinha em seus lábios: 'Jesus'. Não tinha outra palavra em sua boca. Chamava-te em sua agonia. Desejava tanto verte! Oh Senhor: se tivesse estado aqui não haveria morrido nosso irmão".
 
Jesus responde: "Eu sou a ressurreição e a Vida. Os que acreditam em Mim, não morrerão para sempre" (Jo 11:25). Jesus, ao vê-las chorar se comoveu e também chorou. Ele mandou abrir o sepulcro, entrou nele, viu Lázaro enfaixado, ordenou que saísse e andasse, e Lázaro viveu novamente. Jesus disse: "Lázaro, eu te mando, saia!" E Lázaro se levantou. depois de quatro dias morto, foi ressuscitado milagrosamente e visto pela multidão que contemplou o fato.

Depois desse evento as Sagradas Escrituras não citam mais o Santo nem suas irmãs. A ressurreição de Lázaro tem valor simbólico. A casa de Betânia e o túmulo se tornaram metas de peregrinação cristã.
 
Segundo uma das várias tradições, Lázaro, Marta e Maria vão a França onde ele se torna o primeiro bispo de Marselha antes de ser martirizado. Em outra versão Lázaro e suas irmãs vão para Chipre onde ele se torna bispo de Kition ou Lamaka. As suas supostas relíquias teriam sido transladadas para Constantinopla e varias igrejas e capelas foram erigidas em sua honra na Síria.
 
A Basílica de São Lázaro, santo padroeiro de Lanarka, construída em 890 d.C. era um templo cristão do quinto século no qual existia um sarcófago com a com a inscrição: "Lazarus, o amigo de Cristo". Isto reforça a tradição que ele viveu sua "segunda vida ressuscitado" em Kition, Lanarka.
 
É o único santo que ocupa dois túmulos por ter morrido duas vezes.
 

OMULU-OBALUAÊ

 

Oração a Omulu/Obaluaiê

 

Mestre das almas!

Meu corpo está enfermo…

Minha alma está abalada,

Minha alma está imersa na amargura de um sofrimento

Que me destrói lentamente.

Senhor Omolu!

Eu evoco - Obaluaê

Oh!

Deus das doenças

Orixá que surge, diante dos meus olhos

Na figura sofredora de Lázaro.

Aquele que teve a graça de um milagre

No gesto do Divino Filho de Jesus.

Oh!

Mestre dos mestres Obaluaê

Teu filho está enfermo…

Teu filho se curva, diante da tua aura luminosa.

Na magia do milagre,

Que virá de tuas mãos santificadas pelo sofrimento…

Socorre-me…

Obaluaê…

Dai-me a esperança da tua ajuda.

Para que me encoraje diante do martírio imenso que me alucina,

Faças com que eu não sofra tanto - Meu Pai

Senhor Omolu!

Tu és dono dos cemitérios,

Tu que és sentinela do sono eterno,

Daqueles que foram seduzidos ao teu reino.

Tu que és guardião das almas. Que ainda não se libertou da matéria,

Ouve a minha súplica, atende ao apelo angustioso do teu filho.

Que se debate no maior dos sofrimentos.

Salve-me - Irmão Lázaro.

Aqui estou diante da tua imagem sofredora,

Erguendo a derradeira prece dos vencidos,

Conformado com o destino que o Pai Supremo determinou.

Para que eu suplicasse minha alma no maior dos sofrimentos.

Salve minha alma desse tormento que me alucina.

Tome meu corpo em teus braços.

Eleva-me para teu reino.

Se achares, porém, que ainda não terminou minha missão neste planeta,

Encoraja-me com exemplo da tua humildade e da tua resignação.

Alivia meus sofrimentos, para que levante deste leito e volte a caminhar.

Eu te suplico, mestre!

Eu me ajoelho diante do poder imenso,

De que és portador.

Invoco a vibração do Obaluaê.

A - TÔ - TÔ, Meu Pai.

Obaluaê, Meu Senhor, ajude-me!

Energias Divinas cultuadas desde o Antigo Egito, os Orixás Omulu e Obaluaiê sempre estiveram presentes nas diversas culturas, através da figura do “Anjo da Morte”, do “Ceifador de Vidas”, por seu aspecto ligado tanto à morte quanto à cura. Na África, essas energias eram consideradas como os Senhores da Vida e da Morte, dependendo do culto seguido. Quando os negros africanos aqui chegaram, trouxeram em sua bagagem esse conhecimento adquirido ao longo dos tempos, legando a esses Orixás os domínios sobre a morte, as doenças e à medicina.

Obaluaiê é o “Senhor das Passagens”. As entidades que atuam em sua vibração trabalham na mudança de estágio do plano físico para o plano espiritual. Por ser Orixá ligado ao elemento terra, sua energia é vital para a manutenção da vida humana, ocupa lugar no início e no fim de nossa jornada evolutiva, é a energia que habita no dito: “do pó vieste e ao pó retornarás (Genesis 3:19)” E “Tudo caminha para um mesmo lugar; tudo vem do pó e tudo volta ao pó.” (Eclesiastes 3, 20), significando que sem a energia desse Orixá não haveria a constante transmutação da matéria necessária ao encarne e desencarne das criaturas viventes.
 
Dessa forma, Obaluaiê está relacionado ao retorno, ao pó, ao renascimento, à transformação, à transmutação e à regeneração.
 
É o Orixá que rege a Linha dos Pretos-Velhos e diretamente ligado às almas. Por esse motivo, deve ser saudado toda vez em que adentrarmos seus domínios como o cemitério e o cruzeiro.

Fazemos oferendas a esses Orixás nos assuntos ligados à saúde, cura ou morte. Suas oferendas consistem em velas brancas e brancas/pretas; vinho rosé licoroso, água potável; coco fatiado coberto com mel e pipocas; rosas, margaridas e crisântemos, tudo depositado no cruzeiro do cemitério, à beira-mar ou à beira de um lago.

Pontos Cantados:

“Casinha branca, casinha branca,
que eu mandei fazer
para oferecer a meu pai Omulu,
meu pai Omulu, seu Atotô Obaluaiê
oi salve Mamãe Oxum!

Saluba Nanã Buruquê!
Salve Atotô Obaluaiê...”

 

*****************

 

“É Obaluaê

É Obaluaê

É atotô

É Obaluaê

É Obaluaê

 

Se você está sofrendo,

No leito ou com frio e com dor.

Com pipoca e com dendê.

Muita gente ele curou

 

Se seu corpo está ferido,

E não pode mais suportar,

Peça proteção á ele

Que ele vai lhe ajudar!

 

Obaluaê!!

 

É Obaluaê

É Obaluaê

É atotô

É Obaluaê

É Obaluaê

 

Tenho segredo da vida,

Do começo e do fim,

Ô meu senhor das palhas.

Tenha muita dó de mim.”

 

Na procissão das almas,

Que partem pro infinito

Ele vai mostrando á elas

Outro mundo mais bonito!

 


 

 

» Publicidade

 

 

 

» Redes Sociais

 

 

» Campanhas

 

 

 

 

 

Home  |   Apostilas   |   Nossa Loja Virtual   |   Contato

Site desenvolvido por: Genuína Umbanda - Todos os direitos reservados

 

Copyright © 2007-